A salvo comigo – K.L. Slater … por Andreia Silva

35154120SINOPSE: Há treze anos, alguém destruiu a vida dela.
Agora, a vingança está ao seu alcance?

Anna é uma rapariga solitária que procura o equilíbrio na sua vida apoiando-se nas rotinas diárias. Não gosta de se aproximar das outras pessoas, pois conhece demasiado bem os danos que elas podem causar.

Até que, um dia, testemunha um acidente e reconhece a culpada: é Carla, a mulher que arruinou a sua vida no passado. Esta é a sua oportunidade de vingança. O primeiro passo é aproximar-se de Liam, o homem ferido no acidente, para poder seguir de perto a investigação policial.

Quando Carla também se aproxima de Liam, Anna percebe quais são as reais intenções de Carla: manipulá-lo? Mas ela não deixará que isso aconteça e tudo fará para proteger Liam e desmascarar esta impostora.

À medida que a obsessão de Anna por Carla se intensifica, outros segredos vão sendo revelados, mostrando que o perigo, afinal, pode vir de onde menos se espera.

OPINIÃO: Anna é uma mulher solitária que vive com medo da aproximação das pessoas por achar que estas não lhe trarão qualquer benefício. Até que testemunha um acidente e vê que a culpada é a mesma pessoa que a destruiu, a si e à sua família, há 13 anos. Agora tem dois objetivos: vingar-se e proteger o acidentado.

Este é um livro que, desde o início, deixa o leitor com a pulga atrás da orelha. A protagonista (e a maioria dos personagens) está construída de tal forma ambígua que quem está a ler não consegue decidir-se se a odeia ou se tem pena dela. E o suspense começa logo por esse aspeto.

Os capítulos são curtos e narrados de forma intrigante, o que torna impossível não virar a página e ler só mais um!

Tem tudo o que um bom thriller psicológico deve ter, incluindo aquelas reviravoltas de deixar qualquer um de boca aberta.

No entanto, falta alguma coisa no livro, alguma coisa em termos de acontecimentos, e também algumas explicações que ficam implícitas, mas não são fornecidas ao leitor. Estes factores não o tornam mau! Apenas não lhe permitem ser fantástico.

É um livro muito bom que, apesar de ter uma componente muito forte de mistério e de suspense, acaba também por colocar o leitor a refletir naquilo que nos vai moldando ao longo da vida, e que por vezes nos pode levar por caminhos mais sombrios numa tentativa de descobrirmos novamente a paz.

 

Anúncios

Antes de ires – Clare Swatman … por Andreia Silva

35597417SINOPSE: ENCONTRA A SUA ALMA GÉMEA…
Há pessoas que passam anos a ver o amor à sua frente antes de o descobrirem. Zoe e Ed fizeram, com mais ou menos tropeções, o seu caminho até à idade adulta, cada qual pelo seu trilho… mas sempre na mesma direção. Anos mais tarde, depois de terem navegado por empregos que não levavam a parte nehuma e caóticas partilhas de apartamentos, o amor floresce finalmente. O futuro juntos parece ponto assente…

ENTÃO ACONTECE O IMPENSÁVEL.
Uma manhã, a caminho do trabalho, Ed é derrubado da sua bicicleta e morre. E Zoe tem de arranjar maneira de sobreviver. Mas não está preparada para abrir mão das suas recordações. Como pode esquecer os tempos felizes, o primeiro beijo, tudo o que construíram juntos? Zoe decide que tem de dizer a Ed todas as coisas que nunca disse.

SÓ QUE AGORA É DEMASIADO TARDE. OU NÃO SERÁ?

OPINIÃO: Adorei mesmo!

Ed e Zoe são casados há alguns anos quando, depois de muitas discussões e tensão entre eles, se comportam como estranhos na mesma casa. Até que um dia, de repente, Ed morre e Zoe fica com a vida pendurada num mar de saudades e recordações. Será que podia ter feito alguma coisa diferente para alterar este desfecho?

Adoro livros com viagem no tempo porque me faz pensar no que mudaria (ou não) no passado. E se essas mudanças alterariam o rumo que a vida tomou. A escrita da autora é tão profunda que o leitor consegue sentir a dor, a angústia e a ânsia de mudar o destino que a protagonista, Zoe, sente.

É uma escrita emotiva, recheada de sentimentos que alternam entre a tristeza de perder a nossa metade com a esperança de poder evitar essa perda. As mudanças temporais que vão acontecendo ao longo da história (e quem ler, perceberá) estão bem contextualizadas e não deixa o leitor perder-se.

Fui surpreendida com o final. Apesar de me ter passado pela ideia algo do género não era bem aquilo que estava à espera e tornou-se no melhor final que esta história poderia ter tido. Dessa forma conseguiu atingir (penso eu) o objetivo do livro: tocar o coração!

Carry on – A história de Simon Snow – Rainbow Rowell… por Andreia Silva

36108617SINOPSE: Na famosa Escola de Magia de Watford, Simon desempenha um papel especial: ele é o Escolhido, aquele que irá salvar todos do Mal. Mas a verdade é que, metade das vezes, Simon não consegue fazer a sua varinha funcionar, e, na outra metade, pega fogo a tudo. O seu mentor evita-o, a sua namorada deixou-o, e existe um monstro que se alimenta de magia e que utiliza o rosto de Simon. Para piorar as coisas, Baz, a némesis irritante de Simon, desapareceu. Só pode estar a preparar alguma! Carry On – A História de Simon Snow está repleto de fantasmas, amor, mistérios. Tem exatamente a quantidade de beijos e de conversa que seria de esperar numa história de Rainbow Rowell – mas muito, muito mais monstros.

OPINIÃO: Simon Snow é já conhecido dos leitores de Rainbow Rowell por ser uma personagem de uma história criada pela protagonista no livro “Fangirl”.

Simon tem 18 anos e regressa ao seu último ano em Watford, uma escola de magia. A escola está a enfrentar uma guerra entre mágicos, e Simon, o mágico mais poderoso, é quem está destinado a vencer.

Existe no livro muita inspiração de outros livros sobre magia. Mas, atenção, o livro não é uma cópia! É dentro do que tem vindo a ser feito uma coisa renovada, uma lufada de ar fresco. Tem personagens muito bem construídas, muito bem interligadas e com um crescimento que acompanha o ritmo e a evolução da história.

A escrita da Rainbow teve sempre um carácter envolvente em todos os livros que li e neste não é excepção. Está muito bem escrito, com um humor e uma profundidade que, ao se alternarem, conferem um tom credível e maduro à história. A autora criou um mundo irreal mas ao mesmo tempo tão nosso conhecido (e adorei o nome dos feitiços!).

É um livro muito muito bom. E o melhor é que mesmo quando a acção se desenrola de facto, quando se atinge o ponto alto, o leitor, ainda assim, vai sendo apanhado de surpresa aos bocadinhos, terminando num final muito bom. E, mais uma vez, com magia muito real!

As gémeas – Saskia Sarginson … por Andreia Silva

22172320SINOPSE: Elas eram idênticas em tudo… até o impensável as ter separado.

Isolte e Viola são gémeas. Inseparáveis durante a infância, tornaram-se adultas muito distintas: Isolte é uma redatora de sucesso numa revista de moda, tem um namorado fotógrafo e um apartamento em Londres; Viola é uma pessoa desesperadamente infeliz e luta há muitos anos contra um distúrbio alimentar.
O que terá acontecido no passado para que as gémeas seguissem caminhos tão diferentes nas suas vidas? À medida que as duas irmãs começam a esclarecer as tragédias de um verão meio esquecido, segredos terríveis do passado vêm à tona, ameaçando apoderar-se das suas vidas…

 

OPINIÃO: Isolte e Viola são gémeas e têm toda aquela entrega uma à outra típica dos gémeos. No entanto, algo durante a infância as separou e é isso que a autora nos vais tentar contar durante este livro.

Eu gostei do livro, mas não foi tudo aquilo de que estava à espera. Estava a contar, segundo a sinopse, com uma pitada de policial e mistério que me fizesse querer ansiar por mais páginas. Mas, apesar do mistério existir e de não se saber o que de facto aconteceu, a história não puxa o leitor.

A narrativa torna-se um pouco confusa aos nossos olhos, uma vez que em cada capítulo podemos ter excertos na terceira pessoa e na primeira pessoa sem que seja dada a informação da voz que está a ser ouvida. O leitor chega lá pelo sentido e, muitas vezes, pelo tom que é usado.

É uma história muito descritiva. A autora não se limita a contar e a expôr fatos. Em cada acontecimento existe uma descrição de locais, de pessoas, de sensações que, por um lado, torna a escrita mais rica, mas por outro pode chegar a cansar o leitor por a história andar mais lenta.

No global, foi um livro que me agradou mas que não me prendeu. O final é bom mas um pouco aberto. Mas percebo a intenção da autora. Com o tipo de história e o rumo que tomou, o resto do final foi deixado na imaginação de cada um que a ler.

Quando as estrelas caem – Amie Kaufman&Megan Spooner … por Andreia Silva

27996115SINOPSE: É uma noite igual às outras a bordo da Ícaro, os passageiros divertem-se. Tarver convida Lilac para ver as estrelas. Então, a catástrofe abate-se sobre a enorme nave de luxo: de súbito é puxada para fora do hiperespaço e despenha-se no planeta mais próximo. Lilac Laroux e Tarver Merendsen sobrevivem.
E estão sozinhos.

Um romance intenso. Uma história de amor. O Titanic distópico.

 

OPINIÃO: Ícaro é uma nave espacial, a mais magnífica de toda a galáxia, fruto do reino de LaRoux.

Ícaro destrói-se e sobrevivem apenas duas pessoas, dois jovens: o soldado herói Tarver, de origens humildes, e Lilac, filha do poderoso LaRoux. Os dois vão ter de se tolerar e de se entreajudar para sobreviverem, e talvez salvar o resto da humanidade.

De início, a história parecia-me como tantas outras histórias distópicas YA.  Não estava a ver nada no enredo que me permitisse achá-la espetacular. No entanto, com o decorrer das páginas fui-me apercebendo que, mesmo sendo dirigida a jovens, o livro tem uma escrita cuidada e profunda, não deixando a história nada superficial.

O mundo aqui criado está bem pensado e bem envolvido no trama e nas dificuldades que os protagonistas enfrentam. Apesar de ter um cheiro de alguma ficção científica, não chega a sê-lo e, por isso, pelo menos no meu entender, não se torna demasiado artificial.

Na globalidade é um livro bom, tem uma história cativante. Tem algo de diferente que prende o leitor e que lhe permite fugir da Terra e viajar pelo espaço, ainda que seja um inventado.