Ao fechar a porta – B.A. Paris

35497182SINOPSE: Quem não conhece um casal como Jack e Grace? Ele é atraente e rico. Ela é encantadora e elegante. Ele é um hábil advogado que nunca perdeu um caso. Ela orienta de forma esmerada a casa onde vivem, e é muito dedicada à irmã com deficiência. Jack e Grace têm tudo para serem um casal feliz. Por mais que alguém resista, é impossível não se sentir atraído por eles. a paz e o conforto que a sua casa proporciona e os jantares requintados que oferecem encantam os amigos. Mas não é fácil estabelecer uma relação próxima com Grace… Ela e Jack são inseparáveis.

Para uns, o amor entre eles é verdadeiro. Outros estranham Grace. Por que razão não atende o telefone e não sai à rua sozinha? Como pode ser tão magra, sendo tão talentosa na cozinha? Por que motivo as janelas dos quartos têm grades? Será aquele um casamento perfeito, ou tudo não passará de uma perfeita mentira?

Um thriller brilhante e perturbador, profundamente arrebatador, que se tornou num autêntico fenómeno literário internacional com publicação em mais de 35 países. A não perder.

 

OPINIÃO: Ainda estou a digerir… Que corrida!

Um dia e meio… Este livro foi lido num dia e meio!!

Há já algum tempo que este livro captou a minha atenção. Na altura, ainda não havia previsão para o lançamento em português. Cheguei a ponderar adquirir a versão original, apesar de não gostar de ler romances em inglês. Livros técnicos tudo bem, mas como escrevo em português ajuda-me ler narrativas na nossa língua.

Para minha felicidade, a Presença anunciou que o livro “Behind closed doors” ia ser publicado por cá e, mal ele me chegou às mãos, li-o de uma assentada.

Não sei do que estava à espera, mas não era disto. Não desiludiu, surpreendeu!

Esperava uma história de violência doméstica, algum terror psicológico… As minhas suposições variavam nesse sentido: marido controlador, família disfuncional… qualquer coisa desse género.

Porém, não há família! Jack não é um simples abusador e Grace não é uma simples mulher abusada. Não me interpretem mal. Não acho que haja qualquer “simplicidade” na violência, seja ela qual for. Apenas quero passar a ideia de que são mais comuns esses casos do que o que nos é apresentado aqui.

Este enredo está muito bem construído e o que oferece não são só momentos tensos. O leitor é obrigado a desafiar-se numa constante tortura mental. Também a minha mente entrou num turbilhão, também eu procurava uma brecha por onde Grace pudesse escapar. Não havia tempo para relaxar — só se pousasse o livro um bocadinho… Eu pousei. Não há um único capítulo calmo.

Os enredos, normalmente, contam com altos e baixos. Aqui estamos sempre no pico. Não podemos sossegar porque Grace também não pode. Somos Grace e questionamos as suas atitudes, sem ter como lhe apontar um dedo e dizer que teríamos feito de outra forma. Aliás, eu cheguei a concluir que, com o  meu temperamento, não teria resistido ou durado um dia. Eu teria sucumbido à emoção e não teria como levar a melhor sobre Jack. Porque Jack é meticuloso, porque Jack está sempre um passo à frente, porque Jack é louco mas ninguém sabe e ninguém acreditaria.

Temos de encontrar uma saída, mas as portas estão fechadas e as janelas têm grades — metaforicamente, é tão verdade que sufoca acompanhar esta mulher nas suas privações. É claustrofóbico!

Não é muito visual, não descreve cenários horrorosos. É muito, mas mesmo muito, psicológico. Faz-nos questionar como é fácil rotular alguém de louco, tirando à pessoa qualquer credibilidade.

A história é contada na voz de de Grace. Nós somos a Grace e, como tal, não sabemos algumas coisas sobre Jack. No entanto, acredito que podia ter sido acrescentado um episódio no final para suprir essas questões que ficaram em aberto. Ou até pelo meio do livro! Confesso que fiquei mesmo triste de não ter algumas respostas…

A última cena, que é absolutamente espetacular, podia ter sido adiada mais um pouco, ou estendida. Pessoalmente, acho que o livro só falha aqui, tem um final um pouco apressado. Termina com uma frase que tem um significado imenso e entendo a opção de fechar assim o livro, mas fica aquela sensação de que não foi tudo dito.

Por fim, não me parece que seja preciso dizer com todas as letras, mas faço-o para os mais distraídos: Recomendo! É uma leitura obrigatória para todos os leitores que procuram histórias com emoções fortes.

Aviso: esta provoca arritmia!

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s