Dezanove minutos – Jodi Picoult

26SINOPSE: Mais uma vez, Picoult aborda um assunto delicado na sociedade contemporânea, um tiroteio no liceu, levantando perguntas como: o seu filho pode tornar-se num mistério para si? O que significa ser diferente na nossa sociedade? É justificável para uma vítima ripostar? E quem – se é que alguém – tem o direito de julgar outra pessoa? Em Sterling, New Hampshire, Peter Houghton, um estudante de liceu com dezassete anos, suportou anos de abuso verbal e físico por parte dos colegas. O seu amigo, Josie Cormier, sucumbiu à pressão dos colegas e agora dá-se com os grupos mais populares que muitas vezes instigam o assédio. Um incidente de perseguição é a gota de água para Peter, que o leva a cometer um acto de violência que mudará para sempre a vida dos residentes de Sterling.

OPINIÃO: Já entendo porque é que esta autora tem tantos seguidores… A minha estreia com Picoult e não poderia ter ficado mais agradada. “Agradada” talvez não seja o termo mais correto, porque a narrativa pouco nos deixa a sorrir.

Medo… Este mundo que os nossos filhos podem vir a enfrentar dá medo!

Bullying… Há quem diga que é uma moda recente, que dantes não tinha este nome. A essas pessoas, uma estampa de estupidez na testa! O nome é recente, mas a tendência vem de há muito tempo e os suicídios, homicídios, perturbações também.

“Temos de ser duros!” – Mas estamos na selva ou quê? Não somos todos iguais e já há muito que o ser humano deixou de abandonar os mais fracos na sarjeta.

“E os pais não veem?” – Aqui está o medo…

Não! É possível que pais atenciosos não reparem na gravidade.

E mais! Picoult também nos ensina a não “cuspir para o ar”. Os filhos não são todos iguais e é importante dar a devida atenção a cada um, tendo em conta as particularidades que os fragilizam.

Onde está a culpa nesta história? Há um desapego imenso pelos bullies, mas rapidamente somos levados a defendê-los, perante o desfecho que os aguarda.

Os pais? Porquê? Por sofrerem e por não serem videntes, ao não conseguirem adivinhar os pensamentos do filho e, ao mesmo tempo, não serem capazes de olhar por detrás da mentira?

Dar ou não dar privacidade a um adolescente?

Tantas perguntas!!!!!

É um livro obrigatório para todos.

Há temáticas que nunca são demais abordar.

Anúncios

One thought on “Dezanove minutos – Jodi Picoult

  1. Pingback: Ilusão Perfeita – Jodi Picoult |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s